Intercambista fala sobre imperialismo britânico em Gana para alunos do Ensino Médio do Barão

O imperialismo britânico em Gana foi a pauta da conversa entre o intercambista da Faculdade Anglicana de Erechim (FAE), Laud Augustus Nii Addo Mingle, e a turma do 2º ano do Ensino Médio do Instituto Anglicano Barão do Rio Branco (IABRB). A intervenção aconteceu na manhã do último dia 6 de julho, na disciplina de História, ministrada pela professora Maribel Haas de Toledo.

“O imperialismo britânico privou o povo da Costa do Ouro (hoje denominada Gana) dos seus recursos naturais, economia e cultura, a longo prazo bem-sucedidas. As culturas e línguas indígenas foram substituídas pelas culturas ocidentais. A introdução da religião cristã no país, a implantação da educação de estilo europeu e a introdução do inglês foram algumas das consequências deste período”, destaca o intercambista.

Ouvir sobre o escambo, que significa a troca de mercadoria por trabalho, prática comum no contexto da exploração do pau-brasil, não foi nenhuma novidade para os estudantes. Entretanto, a turma ficou impressionada com o relato de que em Gana era comum os indígenas trocarem familiares por bugigangas, como espelhos, bebidas e metais. “Assim os britânicos conseguiam mais escravos. O engraçado é que após a introdução da educação europeia, os indígenas da elite passaram a tratar seu povo da mesma forma que os britânicos faziam”, complementa Laud.

“A intervenção foi muito interessante, as contribuições foram elucidativas, contemplando curiosidades sobre o processo imperialista vivenciado em seu país”, avalia a professora Maribel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *