Pedagogia 2016 conhece o trabalho desenvolvido pelo CEJA/Erechim

Na última segunda-feira (15), na Disciplina de Educação de Jovens e Adultos, a turma do 7º semestre do curso de Pedagogia da Faculdade Anglicana de Erechim (FAE) teve a oportunidade de conhecer as experiências educacionais desenvolvidas na Modalidade de EJA, através do Centro Municipal de Educação de Jovens e Adultos (CEJA/Erechim). Na oportunidade, a turma recebeu a Diretora do CEJA, professora Marilei Fátima Balensiefer  Simonetto, e a  Coordenadora Pedagógica, professora Claudia Smuk da Rocha. Atualmente, o CEJA possui 312 estudantes matriculados e uma lista de espera com 100 estudantes.

As educadoras ressaltaram que o CEJA foi uma proposta do Governo Municipal, construído no decorrer do ano de 2009 e implantado em 2010.  Tem como principal objetivo a oferta do atendimento de Ensino Fundamental, na Modalidade de EJA, aos jovens e adultos, bem como de forma integrada ou complementar, a iniciação profissional, construindo a partir do processo ensino aprendizagem, a consciência e compromisso com a reflexão e com a ação na sociedade.

As educadoras explicaram que a organização curricular do CEJA, se dá a partir de Módulos, onde as disciplinas são trabalhadas de forma globalizada através das áreas do conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Religioso. Segundo, a diretora Marilei, não ocorre troca de períodos, pois cada área do conhecimento é trabalhada por um educador durante o turno da aula. Além do ensino regular, os estudantes realizam 20% de trabalhos à distância e curso de iniciação profissional.

A professora Claudia ressaltou que o Projeto de 2019 intitula-se: “Vivenciando a Cultura da Paz”. Relatou alguns desafios enfrentados pelo CEJA, como: ● Infrequência e consequente Evasão; ● Conflitos que surgem decorrente da diferença de idade; ● Casos de vulnerabilidade social e drogadição; ● Cansaço dos que vêm direto do trabalho; Dificuldades de aprendizagem: muitos chegam sem saber ler, mesmo não sendo da turma de Alfabetização; ● Casos de indisciplina: resistência em aceitar as normas do CEJA; ● Gravidez na adolescência, entre outros.

Orgulhosamente, as educadoras falaram sobre os reconhecimentos que o CEJA possui: 2010: Medalha Paulo Freire: “O CEJA – Erechim, segundo o Ministério da Educação, é uma das cinco melhores experiências do país”; 2012: artigo na Revista da UNESCO; 2013: 100% de satisfação pela Pesquisa de Satisfação da Ouvidoria da Prefeitura Municipal de Educação; 2013: Certificado de Reconhecimento Prêmio Gestor Público; 2016: projeto encaminhado ao Prêmio Gestor Público do Estado do Rio Grande do Sul, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *